Poemas Apresentados ao III Prémio de Poesia em Rede - Publicação Provisória
14.3.09

“Baloiço”


Empurrei-te o baloiço, para a frente, para trás,
Tinhas asas, eras pássaro, cometa, avião!
Balançavas como se fosses capaz
De tocar no céu com a tua própria mão!

Na praia eras barco, submarino, peixe, sereia,
Quando te vi, em mergulhos, partir à conquista do mar!
Golfinho entre a espuma das ondas a saltitar
Até terra firme, onde rebolavas na areia!

Quando correste sem parar atrás da bola no relvado,
Eras avançado a marcar golo da vitória!
Quando, à noite, te contei uma história,
Tornaste-te rei, um grande herói, príncipe encantado!
Resgataste a princesa do tirano malvado,
E viveste feliz para sempre!

Mas quando te peguei ao colo, eras pequenina novamente,
Aninhaste no meu peito, quiseste saber de tua mãe,
Um anjo caído mesmo à minha frente,
A quem eu, admirado, perguntei:

“O que és tu, afinal, linda criatura,
E com que contagiosa esperança
Brincas, corres e saltas com prazer?”

Foi quando me encaraste cheia de ternura,
E sorrindo, respondeste: “sou criança,
Por isso, posso ser o que quiser!”



                                                                                      Flipkosta


link do postPor poesiaemrede, às 00:07  comentar

De José Correia a 14 de Março de 2009 às 21:40
Fantástico.

De Flipkosta a 15 de Março de 2009 às 03:05
Obrigado!
Muito mais do que meu, este poema é da criança que o inspirou ;)

De Anónimo a 1 de Março de 2012 às 03:38
Simplesmente maravilhoso este poema, pleno de sensibilidade e ternura...

De Dina Rodrigues a 18 de Março de 2009 às 22:05
Lindíssimo o poema, retrata bem a magia de ser criança!

Dina Rodrigues

De Flipkosta a 19 de Março de 2009 às 23:21
Registei as suas palavras. Aqui fica um agradecimento sincero!

Poesia em Rede
 
Poesia em Rede
Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13

15
16
19
20
21

22
24
25
27

29
31


Leituras
blogs SAPO
Contador de visitas