Poemas Apresentados ao III Prémio de Poesia em Rede - Publicação Provisória
26.3.09



 

 

Um novo ramo
 

Deposito minha esperança
nas sementes que o vento
espalha pelo caminho
Que o tempo sem descanso
apodrece aos frutos e aos homens..
Mas desses sempre surgem,
novos ramos...

E apesar do ciclo ser severo
não nos é permitido
desperdiçar terreno e minério
Pois é justamente dessa terra
que eles irão se alimentar..

Isto é, se até lá não tivermos concretados,
os jardins e os corações..
Assim mesmo tenho fé
de que entre as fendas superficiais
Floresça uma espécie ainda capaz
de ser humana o suficiente...
 
Nada de laboratório ou foguetes,
cálculos ou igrejas;
Precisamos mesmo é de produtores rurais,
mensageiros embotados de lama
Plantando no propósito de que a paz se fertilize
e dê aos nossos filhos e netos
amor pra essa vida...
 

 

 

 

 

 

Autor: Gilmar Santos.

 

 

link do postPor poesiaemrede, às 23:46  comentar

De joaquim a 3 de Julho de 2014 às 09:06
poema good

Poesia em Rede
 
Poesia em Rede
Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13

15
16
19
20
21

22
24
25
27

29
31


Leituras
blogs SAPO
Contador de visitas