Poemas Apresentados ao III Prémio de Poesia em Rede - Publicação Provisória
23.3.09

Criança Africana

 

Criança africana

Não concebida e já condenada

Criança sem futuro

Desde nova escravizada

 

Seu súbtil sorriso sobressai

No topo do inferno que ali vai

Sua tristeza constante

Torna-se num desespero revoltante

 

E nenhuma esperança

Permanece nesse coração negro

Coração triste de criança

 

A escuridão neles presente

Retira-lhes o pouco da sua alegria

Que é inútil para sobreviver na vida

Vida esta, corrompida eternamente !

 

 

Cláudio Madureira

 


link do postPor poesiaemrede, às 23:40 

De antonio a 17 de Novembro de 2010 às 13:36
Poema terrível. Não está ruim na construção, mas nos preconceitos. Não condeno por não anunciar qualquer esperança, mas, se assumi-la como algo necessário e bom, por que contrasta-la com o 'coração negro', se se refere às crianças negras? A escravidão está em sua linguagem, liberte-se sobretudo. Obrigado. Antonio.

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Poesia em Rede
 
Poesia em Rede
Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13

15
16
19
20
21

22
24
25
27

29
31


subscrever feeds
blogs SAPO