Poemas Apresentados ao III Prémio de Poesia em Rede - Publicação Provisória
28.12.08

                                            

 

                                                   O mundo em teus olhos

                                                    Em teus olhos vejo o mundo,
                                                    Belo, irrequieto, passageiro,
                                                    Por vezes demasiado profundo,
                                                    À luz do candeeiro.

                                                   O que esconde teu sorriso,
                                                   Amor, dor, felicidade?
                                                   Ou tão somente o que é preciso,
                                                    Respira liberdade.

                                                   Suspiro pelo momento,
                                                   Em que te vejo, e contigo brinco,
                                                   O meu único lamento,
                                                   É não gastar o tempo com afinco.

                                                   Nos teus olhos, criança,
                                                   Em olhares singelos,
                                                   Tudo desliza numa dança,
                                                   Que faz meus dias mais belos.

                                                   Vítor F.



 

link do postPor poesiaemrede, às 00:48  comentar

CRIANÇA DO AMANHÃ



Olhos no olhos te admiro,

ainda franzino, bebé,

crescerás num suspiro.

Meu tempo não é o teu tempo,

e eu peço ao Sol, ao vento,

que adie meu retiro...

Quero-te ver crescer,

Ser o lobo mau

A quem vais bater

em tuas brincadeiras...

Levar-te às cavaleiras

em correrias sem fim...

Tu fazes parte de mim...

És a criança que carrego ao colo,

serás o jovem de amanhã,

ver-te será meu consolo,

E o mundo como te aceitará??

 

 

 

 

 

 

Alexandrino Sousa

 

 

 

link do postPor poesiaemrede, às 00:45  comentar

              Ao olhar nos olhos de um criança…



              Ao olhar nos olhos de um criança
              pode-se ver uma alma pura,
              um ser de  alegria e ternura, que pouco dura…
              Porque um dia será adulto,
              as crianças pensam na alegria,
              nunca pensam na dor,
              pensam no que é o amor,
              mas não sabem que se pode tornar dor…
              Sonham com fantasias e magias,
              um paraíso cheio de alegrias que
              só os adultos o podem destruir,
              com uma simples palavra “ Guerra”,
              deixam de ser puras para,
              se tornarem duras…
              Pegam em armas para
              combater e destruir o seu mundo,
              que era de alegria e que se
               torna em tristeza e dor…
               Ficam sem os seus pais,
               tudo se torna em fúria,
               matam para poderem viver,
               deixam de ser puras,
               Para serem duras…
               suas vidas deixam,
               de ser sonhos e passam,
               a grandes pesadelos,
               deixam de ter coração,
               matam os pais de outras crianças,
               e assim se vigem da dor…
               Será que um dia estas crianças podem dar amor?




                                                    Feito por: Rute Luz

 

link do postPor poesiaemrede, às 00:37  comentar

Poesia em Rede
 
Poesia em Rede
Dezembro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25

30


Leituras
subscrever feeds
blogs SAPO
Contador de visitas