Poemas Apresentados ao III Prémio de Poesia em Rede - Publicação Provisória
26.3.09

Sou criança, sou inesgotável


Ser criança é ser inesgotável na razão,
A razão que transforma qualquer emoção,
A razão que leva ao infinito da questão.

Ser criança é ver por entre cegos,
É sorrir constantemente,
É ter em mente a alma límpida e brilhante,
A alma que viaja sem maldade,
A alma que cava lealdade.

Faço castelos de areia,
Onde fico congelada e radiante,
Radiante porque sou criança triunfante,
Radiante pela experiência expectante.

Construo o meu ser para além da sombra dos outros,
Construo o meu querer pelo presente do que penso,
Sou infantil no mistério da realidade,
Sou infantil porque a fantasia conheço.

Ser criança é ser imortal,
Ser criança é poder cantar em liberdade,
Ser criança é dar luz à verdade.

                                                             

                                                                   Susana Ferreira

 

link do postPor poesiaemrede, às 00:00 

De Paula Aguiar a 20 de Maio de 2009 às 18:30
Gostei muito do teu poema e acho que tens muito jeito.
Parabéns**

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Poesia em Rede
 
Poesia em Rede
Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13

15
16
19
20
21

22
24
25
27

29
31


Leituras
subscrever feeds
blogs SAPO
Contador de visitas