Poemas Apresentados ao III Prémio de Poesia em Rede - Publicação Provisória
17.1.09

A MENINA EM MIM…

Dentro de mim há, todos os dias,
Uma menina muito pequenina
(falo muito a sério, não estou a sonhar!)
Com quem me dou muito bem,
Com quem gosto de brincar.
Não sei o que é vergonha
Por isso nunca dela me envergonho
Mesmo quando é travessa ou faz maldades.
É em mim que a trago, jamais se escondeu
E todos os dias, a todas as horas,
Sou muito mais Ela do que Eu.
As minhas meninas,
As que pus no mundo,
Zangam-se com ela,
Não sabem amá-la
E ela fica triste, chora e vai-se embora
Mas volta a sorrir mal se esqueçam dela…
E eu também sorrio,
Torno a inventá-la,
Dou-lhe dos meus sonhos,
Dou-lhe a minha voz
E enquanto viver não quero perdê-la
Ou desencantá-la!
Se esta simbiose vos não agradar,
Se acharem imprópria esta cumplicidade,
Ó senhores do Bom Senso e do Lugar-Comum,
Vão ter, queiram ou não, de a aceitar…
É ela quem me tece os dias,
Um a um!


Maria João Brito de Sousa

 

link do postPor poesiaemrede, às 01:22  comentar

De linhaseletras a 18 de Janeiro de 2009 às 20:23
Que lindo poema, é diferente daquilo a que nos habituou, mas gostei de ler, e a menina que há dentro de nós tem que ser amada também por aqueles que nos amam, e se as meninas que pôs no mundo não gostam dessa "menina" e se não a compreendem, elas é que ficam a perder.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Que lindo poema, é diferente daquilo a que nos habituou, mas gostei de ler, e a menina que há dentro de nós tem que ser amada também por aqueles que nos amam, e se as meninas que pôs no mundo não gostam dessa "menina" e se não a compreendem, elas é que ficam a perder. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Ninguem</A> se devia esquecer que mãe há só uma, seja ela de que maneira for , mas infelizmente só quando se perde é que se dá valor , mas ai já não interessa, Amar os outros enquanto cá estamos todos. <BR>Um beijo para si e tudo a correr bem <BR>

De Maria João Brito de Sousa a 19 de Janeiro de 2009 às 03:15
Muito obrigada, amiga. Dá para perceber muito bem, sim.
Penso que o seu Kanguru, e vez em quando, precisa de saltar um bocadinho!
Abraço.

Poesia em Rede
 
Poesia em Rede
Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
13
15

19
21
23

27
28
29
31


blogs SAPO