Poemas Apresentados ao III Prémio de Poesia em Rede - Publicação Provisória
20.1.09

Um Sorriso

Ela sorri, como se fosse a vida
Contemplando as miragens da paixão.
Serena e infantil, quase perdida,
Uma criança fita a solidão.

Num sorriso, estilhaça a escuridão,
Doma as feras da noite indefinida
E planta no vazio de um coração
Um sorriso de esperança renascida.

Ela vive nas asas da memória
Como um futuro arrancado da história
E transplantado em terra abandonada

Para florescer em rosa fascinante,
Sorrindo aos olhos da noite brilhante
Como um hino nos céus por sobre o nada.

                                              Carla Ribeiro

 

 

link do postPor poesiaemrede, às 00:46  comentar

De Maria João Brito de Sousa a 20 de Janeiro de 2009 às 00:56
Mais um belíssimo soneto, Carla. Magnífico soneto! Eu resolvi fazer um poema de rima livre, desta vez... ou melhor, eu não resolvi nada! São eles que se me impõem... são como crianças e eu não consigo negar-lhes nada... o raio da vida própria que estes diabretes têm!
Abraço! :)

De Carla Ribeiro a 20 de Janeiro de 2009 às 14:38
Pois é, no fundo eles são as nossas crianças... E vêm ao mundo com as palavras que querem trazer! :) Abraço!

Poesia em Rede
 
Poesia em Rede
Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
13
15

19
21
23

27
28
29
31


Leituras
blogs SAPO
Contador de visitas